terça-feira, 23 de maio de 2017

Dois pesos e duas medidas de João Alberto


Do Marrapá.

O senador João Alberto de Souza (PMDB), na presidência do Conselho de Ética do Senado, prometeu dar andamento as representações movidas pela Rede Sustentabilidade e PSOL contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG). A postura do “Carcará” é bem diferente e muito mais rigorosa daquela adotada ao se posicionar sobre as denúncias contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Logo após a divulgação das gravações do empresário Joesley Batista, presidente da JBS, onde Temer foi flagrado incentivando o pagamento de propina para manter o deputado cassado Eduardo Cunha em silêncio, João Alberto disse em rede nacional que não viu indícios de qualquer crime praticado pelo presidente. Agora, como presidente do Conselho de Ética, o senador  promete agilizar o processo do tucano para decidir se abre ou não um processo de cassação.

“Vamos ver quais os documentos juntados. Eu sempre tenho declaro que não aceito recorte de jornal, recorte de revista, porque o conselho é instado. A revista, qualquer um escreve, jornal, qualquer um escreve. Eu tenho que ver documentos anexados. Se houver, aí sim, eu aceitarei. Primeiro, eu sorteio um relator, depois é instalado o processo”, disse João Alberto Souza.

Na representação movida pela Rede, Aécio é acusado de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e obstrução de justiça com base na gravação em que aparece pedindo dinheiro a Joesley no valor de R$ 4 milhões.

Pelo visto, se o mandato de Aécio depender apenas do “Carcará”, o tucano estará liquidado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário