segunda-feira, 22 de maio de 2017

OLHO D'ÁGUA DAS CUNHÃS: Ministério Público deve apurar denúncias de que alunos estão desde o início do ano letivo sem transporte escolar na zona rural


O Ministério Público Estadual do Maranhão (MPE/MA), por meio da Promotoria de Justiça da Comarca de Olho D'Água das Cunhãs, deverá apurar várias denúncias de pais de alunos que estão revoltados com a falta de respeito por parte do poder público municipal.

O objetivo da denúncia feita pelos pais dos alunos, é para apurar eventual lesão ao direito à educação com relação aos estudantes residentes na área rural do município de Olho D'Água das Cunhãs, em virtude da ausência de ônibus escolar para realizar o transporte dos alunos.

Prefeito de Olho D'Água das Cunhãs, Rodrigo Oliveira (PDT).
A falta de transporte está prejudicando alunos de dois povoados, são eles; Povoado Centro do Baé e Povoado Barraquinha da Linha. Alguns pais acabam levando seus filhos de motocicletas para não perderem as aulas, enfrentando assim, o perigo da estrada que encontra-se em péssimas condições de trafegabilidade em sua grande parte. A reclamação é grande também por parte dos trabalhadores rurais que acabam perdendo um dia de trabalho na lavoura (roça), porque tem que levar os filhos para estudar. 

Estrada que liga os Povoados Barraquinha e Bacuri da Linha.
O Blog do Vanilson Rabelo teve acesso ao abaixo-assinado e ao termo de declaração (Educação, Ausência de Transporte Escolar e Condições Precárias na Escola Raimundo Leal), que foi ajuizado junto ao Ministério Público da cidade de Olho D'Água das Cunhãs. Os relatos são de que desde do dia 06/02/2017, ou seja, início deste ano, os alunos não possuem transporte para levá-los à escola.



EM TEMPO: Lembrando que antes os alunos eram transportados em um veículo modelo F4000 (Pau de Arara). Porém, isso foi no passado, porque até agora nem pau de arara e nem qualquer tipo de transporte, uma verdadeira falta de respeito com a população, principalmente para os inúmeros alunos da zona rural que estão sendo prejudicados de forma direta. 

Redação/Vanilson Rabelo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário