sexta-feira, 10 de março de 2017

BACABAL: Sessão da câmara de vereadores é realizada sem grandes surpresas, com atos de cordialidade, e com algumas indiretas...


Foi realizada na última quarta-feira (08) em Bacabal, mais uma sessão da câmara de vereadores, na ocasião foi justificada as faltas dos vereadores Reginaldo do Posto, e Edvan Brandão, presidente do legislativo bacabalense.

Os trabalhos foram iniciados com a leitura bíblica feita pelo vereador João da Cruz (Algodãozinho), e, em seguida presidida pelo vereador Melquiades Neto, ladeado pelos vereadores Natália Duda e Cel. Egídio Amaral, que fazem a mesa diretora. Na galeria, comparecimento e participação em grande número da população bacabalense, que a cada quarta-feira, tem frequentado as sessões do legislativo local. 

TRIBUNA.

Vários vereadores fizeram o uso da palavra através de pronunciamento na tribuna, destaques para os vereadores, Alberto Sobrinho, Serafim Reis, Prof. Maninho, Irmão Leal, João da Cruz (Algodãozinho), Dr. Lula, e Cel. Egídio Amaral.

Alberto Sobrinho. 

Em seu discurso o vereador Alberto Sobrinho lamentou a morte do jovem Keyton Figueredo Pinto, que precisou de bolsas de sangue e Bacabal não tinha, e pediu ajuda para a realização de um trabalho em conjunto por parte dos políticos que ele chamou de maiores na cidade, e que haja um maior empenho para a instalação de um HEMOMAR em Bacabal.

Serafim Reis.

Já o vereador Serafim Reis destacou em seu discurso, a divulgação pela imprensa de uma nota, no qual o secretário de administração de Bacabal relata sore o não pagamento de funcionários do SAAE, alegando a existência de uma possível lista com nomes de funcionários fantasmas, nomes esses que ainda fazem parte da administração do ex-prefeito Zé Alberto. Ao Blog do Vanilson Rabelo, Serafim Reis disse que buscaria explicações junto a direção do SAAE.  

Professor Maninho.

O vereador e professor Maninho, depois de acompanhar os discursos anteriores de seus pares, caiu em campo e saiu em defesa do prefeito Zé Vieira, que governa a cidade de Bacabal sob efeito de liminar da Justiça, durante seu pronunciamento na tribuna da cama, Maninho foi vaiado por diversas vezes pela comunidade presente na galeria.

Irmão Leal.

Irmão Leal se mostrou inconformado, e disse com todas as letras está desapontado pelo que sofreu nos primeiros 60 dias do ano, quando na oportunidade foi presidente interino da câmara de Bacabal, e pediu desculpas a todos por ter faltado na 1ª Sessão Ordinária de 2017, segundo ele, foi por motivos superiores. (Irmão Leal ainda encontrou tempo, em meio as suas palavras em meio a lágrimas para chamar o vereador Joãozinho do Algodãozinho de "Coitadinho", fazendo claros sinais de aspas com os dedos).

João da Cruz (Algodãozinho).

Joãozinho pediu empenho da prefeitura para resolver os problemas que assolam a comunidade de Bacabal, e disse que esse trabalho tem que ser feito com urgência.

Dr. Lula.

O fechamento do Banco da Amazônia foi destaque no pronunciamento do vereador Dr. Lula, que pediu um esforço total por parte da classe política para não deixar que esse banco tão importante feche as portas em Bacabal depois de pouco mais de 60 anos.

Cel. Egídio Amaral.

Já a reivindicação feita através de um requerimento, pedindo a realização de uma audiência publica para debater as dificuldades que Bacabal passa, foi um das pautas para o pronunciamento do vereador Cel. Egídio Amaral. Que também destacou o projeto de Lei nº 1296 de 2015, no qual instituiu o Transporte Urbano em Bacabal, projeto esse que foi reformulado por ele, e que ajudaria a população mais carente da cidade.

EM TEMPO: Os vereadores César Brito e Erivelto Martins não usaram a tribuna da Câmara.

Redação/Vanilson Rabelo.

6 comentários:

  1. Irmão Leal, pelo que eu percebi tava querendo chorar, mas acho injusto mesmo as pessoas quererem crucificá-lo gente ele não pediu para ser presidente interino não...

    ResponderExcluir
  2. EU NÃO ACREDITEI EM UMA SÓ PALAVRA QUE FOI DITA POR ELE NA TRIBUNA, PURA BALELA, PESSOAL AI GOSTA MESMO É DE UM PODER

    ResponderExcluir
  3. O povo merece os governantes que tem

    ResponderExcluir
  4. Quanto ao banco da Amazônia. O problema não é força política e sim gestão administrativa. Sem clientes. Movimentação financeira. Atrativos é impossível. Não dá é pra funcionar com prejuízo.

    ResponderExcluir
  5. E só a prefeitura transferir os pagamento e os movimento pra esse banco que resolve. .....ai vem com esses discurso. Como que está preocupado com a situação vai mentir pra outro

    ResponderExcluir
  6. Esse maninho é uma vergonha para população de Bacabal

    ResponderExcluir