quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

O poder da imaginação levado ao ridículo




Certas coisas ou até mesmo pessoas nunca mudam, ou não querem mesmo mudar, pessoas que se acham centralizadoras, que se acham o Alfa, o Ômega, que se acham como dizem no popular... “a última bolacha do pacote”. Que dizem em alto e bom som, que são os que estão na mídia, e que tudo que ocorre na cidade, só é verídico se for anunciado por eles.

Pensam que as pessoas são tolas, e que acreditam em histórias mirabolantes, fantasiosas, imaginárias, criadas em um momento de uma suposta “alegria”, também de desespero e raiva, em momentos assim, elas acabam metendo os “pés pelas mãos”, e falam o que não sabem e depois estão arrependidas buscando auxilio de outra pessoa, que para elas é considerada como “mestre”. Mais que na verdade não passa de um manipulador. Usando suas marionetes, seus fantoches que acatam direitinho as ordens do tal “mestre”.   

De um tempo para cá, algumas dessas pessoas que estavam com um ataque sistemático, procurando de todas as formas colocarem a opinião pública contra profissionais da segurança pública da outrora pacata cidade de Bacabal, que assim como outras cidades do Brasil também está ficando refém da criminalidade, mais não por falta de policiais militares nas ruas, mais sim pelo sistema que é falho, viaturas sem um mínimo de condição de trabalho, pouco efetivo, e uma série de outros fatores.
Mais esses ataques cessaram muito rápido, depois que se falou em entrada de processos na justiça contra os que atacavam, o negócio mudou, resolveram pedir “arrego”, e tudo se resolveu com um belo e saboroso encontro Regado a cerveja, wisque e alguns aperitivos. De uma hora para outra as “ideias” as “opiniões” de quem se julgam formadores delas, mudaram totalmente, por quê? ...

“Perseguição aos próprios “companheiros” de empresa”

Pois bem, diante desse fator o que tem que fazer é, ler a cartilha que lhe é entregue, caso contrário rua, isso mesmo rua, essa parte irei explicar agora, em todas as empresas, ou em uma grande maioria delas,  o que faz o sucesso acontecer é a união dos funcionários, tipo um time de futebol, isso mesmo, todos tem que estar unidos com o único objetivo ganhar o jogo, pois bem, isso de fato não ocorre em algumas empresas de Bacabal, o que ocorre é a chamada “Babação” ou entrar no ritmo da música  por aqueles que se acham os “maestros”, se não fizer isso ocorre a chamada “perseguição”, mais por que?, será se os chamados “maestros” tem medo dos que eles chamam de “pequenos”, ou se sentem ameaçados por profissionais mais capacitados que eles?, ( mestres*).  Vai entender...

Ainda tem aqueles que se dizem fieis discípulos que fazem de tudo para não desapontar seus “ídolos”, no qual eles “discípulos” os idolatram de todas as formas, o certo é que pessoas assim nunca, irão crescer profissionalmente, e continuaram da mesma forma que estão, “parados no mesmo lugar”, sem um objetivo na vida, mais que por enquanto se sentem satisfeitos em ficar “levando e trazendo”!



Autor/ Vanilson Rabelo                                                                        

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do editor do Blog do Vanilson Rabelo. Ficando responsabilizado (a), quem o escreveu.